Conta de luz aumenta 43%: Saiba como economizar

Mudanças no cotidiano trazem benefícios ao consumidor e ajudam a evitar cobrança extra liberada pela Aneel

Optar por lâmpadas de LED, fazer manutenção preventiva na fiação elétrica e ficar atento com os grandes vilões de uma casa, como chuveiros, torneiras elétricas, aquecedores, lavadoras de louça e alguns tipos de secadoras de roupa, são dicas importantes para quem quer reduzir a conta de energia. A economia deve ter a atenção dos consumidores, já que, desde o início deste mês, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou o reajuste de 43%na taxa extra cobrada na bandeira vermelha 2, passando de R$ 3,50 para R$ 5 a cada 100 quilowatts consumido.

Segundo a Aneel, a elevação na cobrança, que sinaliza aos consumidores o custo de operação do sistema – se a oferta de energia cai e termelétricas precisam ser ligadas são acionadas as bandeiras amarela e vermelha –, foi necessária por conta da situação crítica dos reservatórios e a falta de chuva. Contudo, algumas alterações nos ambientes e escolhas mais conscientes, além das já conhecidas boas maneiras do cotidiano, como apagar as luzes de cômodos vazios e evitar deixar aparelhos no modo stand by, devem ser aplicadas para evitar qualquer cobrança extra no final do mês.

“Atualmente, o cliente paga taxa extra na conta de luz, que gera um alto custo no final do mês. Por isso, revisar as instalações elétricas de um imóvel, além de um consumo consciente, é o melhor jeito de reduzir gastos no período”, destaca Antônio Carlos, engenheiro eletricista e franqueado daMaster House Manutenções e Reformas de Moema.

A redução na conta pode ser ainda maior se levarmos em consideração o horário de verão presente nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O adiantamento do relógio em uma hora nesses estados gera benefícios à população com economia no consumo de eletricidade, principalmente, entre as 18h e 21h, quando é registrada a maior demanda por energia. No ano passado, a adoção do horário de verão possibilitou uma economia de R$ 159,5 milhões, segundo o Ministério de Minas e Energias.

Além disso, o especialista garante que as mudanças podem trazer bons resultados em médio prazo. “Acaba o horário de verão e a economia permanece. Outra coisa que devemos reforçar é que uma boa instalação elétrica mantém os ambientes seguros, sem riscos de sobrecargas e possíveis incêndios”, pondera Antônio Carlos.

Confira algumas dicas:

Opte por lâmpadas de LED – Apesar de custarem um pouco mais, são as melhores opções do mercado, pois consomem menos energia que as fluorescentes e incandescentes (já fora de linha). Além disso, chegam a ser doze vezes mais eficientes do que as outras e têm, em média, uma vida útil de 50 mil horas. A redução na conta de energia no mês pode chegar a 60%.

Atenção à fiação – O que determina o consumo de um aparelho é sua potência, e não sua voltagem. Aparelhos 220V são fabricados para que haja economia nas instalações onde serão ligados. Para uma mesma potência, um aparelho 127V necessita de cabos de maior bitola (dimensão), devido às correntes que passam por eles serem maiores. Consequentemente, os disjuntores precisarão também ser corretamente dimensionados para o correto funcionamento do sistema.

Só para os vilões da energia – Chuveiros, torneiras elétricas, aquecedores, lavadoras de louça e alguns tipos de secadoras de roupa devem possuir circuito exclusivo, assim como iluminação e tomadas, que também devem, preferencialmente, ter sistema individualizados.

Faça as contas – Dimensione o quadro de distribuição, circuitos e os conduítes prevendo futuras ampliações, evitando assim gastos futuros. Procure sempre um profissional qualificado para desenvolver o projeto elétrico, evitando desperdícios e gastos excessivos como, por exemplo, mal dimensionamento de cabos, circuitos e distribuições.

 

portalje

https://www.portalje.com.br

Jornal Eletrônico é uma publicação Bmx3 www.bmx3.com.br

Leia também...