ACSP: Economia começa a reaquecer na capital

ACSP: Economia começa a reaquecer na capital

Associação Comercial de São Paulo (ACSP) divulga Balanço de Vendas da primeira quinzena de setembro que mostra curva em crescimento durante esta fase da pandemia

O Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) da primeira quinzena de setembro sinaliza que a economia paulistana já começa a se aquecer, após o início da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Os números apontam que houve um crescimento de 35,8% comparado aos primeiros 15 dias de agosto. Os números mostram também que há uma curva de aumento de vendas gradativa desde o início do afrouxamento do isolamento social.
 “Há mais gente nas ruas, mais gente trabalhando e mais gente consumindo”, afirma Marcel Solimeo, economista da ACSP.

Segundo sua análise, a Semana Brasil, promoções de vendas em comemoração ao Dia da Independência, também contribuiu para o crescimento do consumo na capital paulista. “O comércio já estava claramente se aquecendo e quando o lojista baixa os preços de seus produtos ele ajuda, mais ainda, a impulsionar a economia”, complementa.  
A derrubada da economia em São Paulo pode ser vista em números. Para isso, basta comparar os percentuais fechados do mês com o mesmo período de 2019, fora do contexto da Covid-19.

Em março, por exemplo, quando as pessoas começaram a ficar em casa, registrou-se um recuo de 27% em relação aos 30 dias correspondentes do ano anterior. Nos meses posteriores, a ACSP apontou balanço de -63,8% e -67% (abril e maio) também comparando-se ao período similar de 2019. Depois disso, houve um reaquecimento econômico com -54,9%, -47,7%, -33,6% (junho, julho e agosto respectivamente) e, agora, uma prévia quinzenal de setembro, com -17,8%, relacionando-se ao período correspondente do ano passado.  


 “A tendência é que nos próximos meses a economia continue a mostrar recuperação, como já aponta a curva do Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo”, ressalta Solimeo.